Translate

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

População tranca a Rio – Bahia e DNIT não retira quebra-molas


Povoado às margens da BR-116, município de Manhuaçu (MG), movimentou-se e forçou a volta de dois quebra-molas. Não aceitou radares já instalados, que foram destruídos. Um claro recado para a futura concessionária da Rio-Bahia
Moradores de Vilanova reconstruíram as lombadas com dinheiro do próprio bolso
Moradores de Vilanova reconstruíram as lombadas com dinheiro do próprio bolso
Luciano Alves Pereira
Faz tempo o mineiro José Natan defende a necessidade de se espalharem quebra-molas pela descida crítica do Anel Rodoviário de Belo Horizonte. Isto entre o alto da serra (Olhos d’Água) e o trevo do bairro Betânia.  Ele é presidente do SUBC (Sindicato da União Brasileira dos Caminhoneiros) e a seu ver, radar, pardal, lombada eletrônica “não param motorista de caminhão desembestado”. Para muitos, é uma afirmativa meio lá meio cá, da qual se sabem de inúmeros adeptos. Os mais recentes apareceram no final de janeiro, na Rio-Bahia (BR-116), km 586, na região do Vale do Rio Doce (leste de Minas).
O quebra-molas hoje tem história. Surgiu no Brasil há cerca de 30 anos e sequer pegou um nome definitivo. Pode ser lombada, obstáculo se for convexo. No formado côncavo, virou valeta, depressão. Foi deste jeito que apareceu na cidade de San Juan de Porto Rico (costa leste do EUA), por volta de 1950 e tinha, Vilanova Jan 2013 Protesto 2 (10)claro, função de redutor de velocidade. Por aqui, a preferência é pelo ressalto e podemos estimá-lo aos milhões, espalhados por vias de toda natureza e jurisdição, sejam federal, estaduais, municipais ou paroquiais. Também pouco importa o volume de tráfego no local. Mal comparando, seria o mais representativo monumento à luta de classes. E que os ideólogos não se descabelem. De um lado, os pedestres inseguros e vulneráveis. Do outro, os automobilistas e caminhoneiros não adeptos da cultura da baixa velocidade.
Capítulo recente desse conflito pôde ser visto no finalzinho de janeiro, no distrito de Vilanova, município de Manhuaçu, cidade bem situada junto ao cruzamento da BR-116, com a transversal mineira BR-262, A comunidade de 7 mil moradores fica a beira-via e contava com duas lombadas, plantadas desde 1996, conforme relata o Portal Caparaó local. Para incrementar a eficiência da rodovia, o DNIT, de Caratinga (MG), iniciou a substituição das elevações por radares eletrônicos fixos. A população, no entanto, não gostou. Ela se mobilizou e paralisou a BR por sete horas, causando detestável congestionamento de 15 quilômetros nos dois sentidos, relata o referido Portal. Os vilanovenses não querem a retirada dos quebra-molas. Muito menos sua substituição por radares. Adilson Dias da Silva, um dos líderes do movimento, afirmou que “infelizmente, a maioria dos motoristas não respeita a sinalização de trânsito e a velocidade máxima, estipulada pelo DNIT (60 km/h) é alta”. Assim, seu objetivo é que os obstáculos físicos sejam mantidos: “Só eles obrigam os condutores a reduzirem ainda mais a velocidade”, insistiu.
PROSAICO − Em resumo, diante da disposição dos protestantes, os redutores de pista ficaram e até a parte já removida foi reconstruída por conta do próprio pessoal da comunidade.  Vitória para o ponto de vista de José Natan. Em parte. Quando Adilson, de Vilanova, pretende que o fluxo à sua porta caia a menos de 60 km/h, na realidade ficará menor que 10 km/h. As saliências esparramadas pela pista, também chamadas de ondulações transversais pelo extinto DNER, medem mais de 25 cm de altura, quando deveriam ter 10 cm por 3,60 de extensão. Esta foi a proposta bem pensada e constante do INURB (programa de Interfaces Rodoviário-Urbanas), criação oportuna do saudoso Geipot, rabicho só de planejamento do ministério dos Transportes. Todo seu acervo de talentos e trabalhos foi jogado no desmanche pela figura prosaica de José Sarney, pouco antes de 1990.
Os murundus da Vilanova rio-bahiana, de fato, vão continuar parando o tráfego nos dois sentidos, como desde 1996. Mas está longe de ser o remédio capaz de curar. Seu efeito secundário aparece em forma de mais insegurança na pista. Não apenas na eficiência da via como também em aumento da vulnerabilidade dos caminhões e cargas. ‘Tranqueira transversal’ igual existe no km 650 da BR-040, na travessia mal enjambrada de Cristiano Otoni (MG). O trecho ficou conhecido como ponto de abordagem dos ladrões de carretas pelas madrugadas de quase nenhum movimento. Quando o veículo para sobre os quebra-molas, o meliante joga uma âncora pontuda em cima do teto do baú. Amarrada vai uma corda e por ali ele sobe à porta traseira, arrebenta-lhe a trava e passa a jogar o que puder pela pista afora. Seu comparsa, de carro recolhe o fruto da operação. 
 Fonte Carga Pesada

Estrada para a saúde’ distribui kit a caminhoneiros


caminhao parado - caminhoneiroCaminhoneiros que passarem pelo ‘Estrada para a Saúde’, no km 56 da Rodovia dos Bandeirantes, até a próxima sexta (dia 8), receberão um kit especial para curtir o Carnaval com saúde e segurança, além de poderem participar de palestras sobre prevenção de DST /aids. O kit traz seis preservativos e um folheto com informações sobre como evitar doenças sexualmente transmissíveis.
Durante o feriado de Carnaval, o atendimento será suspenso, retornando na quinta-feira, dia 14 de fevereiro.
‘Estrada para a Saúde’ – Atenta às dificuldades do caminhoneiro para cuidar da saúde e aos riscos de acidentes decorrentes de problemas como o sono e a automedicação, a CCR AutoBAn lançou o programa Estrada para a Saúde em agosto de 2006. O programa funciona em um Centro de Atendimento de 260 m² instalado na Área de Descanso do Caminhoneiro, no km 56 da pista sentido Interior-Capital da Rodovia dos Bandeirantes, junto ao Posto de Serviços Graal, em Jundiaí. Os atendimentos são gratuitos, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 12h30 e das 13h30 às 21h30.
No local, os caminhoneiros podem fazer exames de tipagem sanguínea e fator Rh, glicemia, colesterol e pressão arterial; acuidade visual; cálculo de IMC; consultar o médico e cuidar da saúde bucal (tratamento odontológico preventivo, limpeza e restaurações), além de usufruir de outros serviços como corte de cabelo e cuidados com os pés (podologia). O projeto tem parceria com a Rede Graal e Interodonto.
Fonte: CCR e Blog do Caminhoneiro

Motorista Profissional Comprometido é um Diferencial para a Empresa


caminhoneiro-autonomo
No decorrer dos tempos têm se percebido uma grande mudança no perfil profissional do motorista, principalmente naquele que atua no segmento de passageiros e cargas. Com base em pesquisas, observações, feedback dos motoristas, vivência no desenvolvimento de produtos e serviços gerados no segmento dos transportes rodoviários, decidi socializar nesse artigo algumas leituras da realidade atual do motorista.
Vivemos num momento de mudanças rápidas, que exige dos profissionais uma revisão dos modelos mentais na busca por uma melhor conduta e comprometimento para gerar resultados que atendam às necessidades dos clientes.
O motorista do segmento de transportes de passageiros e de carga é exigido diariamente uma disposição mental no sentido de que seus serviços profissionais sejam um diferencial para o cliente. Ele a cada momento que presta seus serviços na comunidade representa o proprietário da empresa, para isso ele necessita estar preparado tecnicamente e emocionalmente para dar as melhores respostas para um cliente cada vez mais exigente.
Com a evolução das demandas dos clientes, o modelo de gestão da cadeia logística requer a integração das áreas e dos profissionais, surge então, o motorista profissional comprometido que passa a ser um diferencial para a empresa.
O motorista exerce uma liderança no contexto logístico desde o ponto de origem até o destino. Ele passa a ser responsável pelo transporte da carga ou pelos passageiros transportados, mas é importante que esteja motivado e capacitado para o pleno exercício da profissão.
O cliente requer serviços responsivos e com qualidade por parte do motorista, exigindo uma responsividade na prestação de serviços com pontualidade, segurança e confiabilidade.
Buscar resultados com excelência na qualidade dos serviços logísticos requer um comprometimento da empresa e do motorista no sentido de que ambos estejam conscientes de uma capacitação técnica e comportamental para prestar serviços diferenciados aos clientes finais.
A sustentabilidade dos negócios passa por ter nas equipes, motoristas que saibam prestar serviços com confiança e segurança no relacionamento com o cliente, para isso é necessário investir em novas práticas de serviços de acordo com o perfil da clientela para que produzam resultados prósperos para toda a cadeia de serviços logísticos.
Investir continuamente na educação do motorista profissional, para que tenhamos uma inclusão social de profissionais qualificados para atender a demanda no segmento dos transportes. Percebe-se, que motoristas que são valorizados pela empresa têm sua autoestima elevada e seu comprometimento gera resultados operacionais prósperos para o cliente, para a empresa e sua vida é próspera.
O motorista necessita estar atualizado com as inovações tecnológicas dos veículos, e também estar incluso nas mudanças comportamentais dos clientes, para que possa atender da melhor maneira suas expectativas.
O motorista profissional comprometido é um diferencial que a empresa passa a contar na sua equipe, porque cuida melhor do patrimônio da empresa que está sob sua responsabilidade, pratica a direção defensiva, cumpre prazos, antecipa necessidades do cliente, ouve sugestões e direciona para o canal competente da empresa.
O motorista profissional é o líder da operação logística! Pense nisso!
HighPluss amplia o Projeto Motorista Profissional aos clientes do transporte rodoviário no Brasil
Foto Rovani_Blog do Caminhoneiro_06.02.2013Fundada em novembro de 2006 em Joinville (SC), a HighPluss atua no segmento de palestras, treinamentos, consultoria e exportação, sendo que os clientes brasileiros são compostos por empresas do transporte rodoviário de passageiros e cargas, indústrias, comércios, serviços e faculdades. O objetivo da empresa é acolher clientes, fornecedores e parceiros para otimizar resultados no desenvolvimento de produtos e serviços, com uma educação profissional focada no desenvolvimento das práticas do empreendedorismo, da responsabilidade social e da ética como diferencial de sustentabilidade dos negócios. Entre os principais serviços da empresa, estão as Palestras e Treinamentos focados no Projeto do Motorista Profissional e da Mobilidade Urbana. Complementa o portfólio os serviços de Consultoria na gestão técnica e administrativa em Engenharia de Ônibus, Logística de Serviços e Administração.
O diretor da HighPluss, José Rovaní Kurz, conta que a empresa investe em visitas técnicas a eventos com destaque para a Feira Internacional de Transporte e Logística em Kortrijk, na Bélgica, além de feiras internacionais de transporte e logística na Argentina, Colômbia e Brasil. Participações também em congressos, conferências, seminários, palestras e cursos nas áreas de transportes, logística, administração, mobilidade urbana e exportação. Ele diz que as experiências e conhecimentos da HighPluss estão fundamentados na gestão e desenvolvimento de atividades técnicas e administrativas realizadas durante 30 anos no segmento de transportes. Afirma também que é importante estar atualizado com as necessidades e práticas que o mercado globalizado requer para a sustentabilidade dos negócios. Os clientes estão mais exigentes por serviços com qualidade no atendimento e atentos aos detalhes na qualidade dos produtos. Empresas comprometidas com o melhor, sem dúvida, investirão no seu capital intelectual de maneira que os serviços e produtos transmitam confiança e segurança para a fidelização do cliente.
Rovani também é Professor Universitário nos Cursos de Pós-graduação e Graduação nas áreas de Administração, Logística de Serviços, Engenharia de Suprimentos e Gestão de Transportes.
A HighPluss está investindo no Projeto do Motorista Profissional e da Mobilidade Urbana no Brasil, para que os projetos possam contribuir no desenvolvimento do trânsito mais seguro nas cidades e nas estradas brasileiras.
Eng. José Rovani Kurz, empresa HighPluss, Palestrante, Consultor e Professor Universitário.
Ministra Treinamento VIP para Motoristas no segmento de Transportes Rodoviários.
Contato: treinamentos@highpluss.com.br
Joinville – SC. – Brasil
Fonte: Divulgação e Blog do Caminhoneiro

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Iveco larga na frente no programa de renovação de frota de São Paulo


Eurotronic_18
A Iveco sai na frente no Programa de Incentivo à Renovação de Frota de Caminhões do Estado de São Paulo, que se encontra em sua fase piloto na região portuária da cidade de Santos (SP). Dentro do primeiro lote de 10 caminhões que tiveram seus financiamentos aprovados em janeiro de 2013, oito são Iveco Stralis (nas motorizações com 360 e 400 cavalos de potência), o modelo pesado da montadora que teve sua nova versão Euro 5 lançada recentemente no Brasil. A entrega do primeiro Stralis está prevista para acontecer agora em fevereiro, e a meta do programa é financiar cerca de 1.000 caminhões novos.
“A proposta do programa paulista condiciona a entrada de um novo caminhão à retirada de um antigo, o que gera diversos benefícios ao meio ambiente. E nosso modelo Stralis Euro 5 é uma excelente escolha, pois faz parte da nossa nova geração Ecoline e traz soluções de motorização que reduzem a emissão de poluentes”, aponta Alcides Cavalcanti, diretor comercial da Iveco. “Além disso, o Porto de Santos, segundo projeção da Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo), espera um novo recorde de movimentação de cargas neste ano, com o volume de 109 milhões de toneladas, 5,8% a mais do que em 2012. Renovar a frota de pesados é fundamental para manter a economia girando sem parar”, acrescenta o executivo.
O Programa de Renovação de Frota do Estado de São Paulo começou em maio de 2012. Seu objetivo é modernizar a frota de caminhões por meio de linhas de financiamentos com recursos próprios da Desenvolve SP (agência estadual de fomento à economia). A linha de crédito é através do BNDES (0,25% ao mês), porém o governo estadual subsidia esses juros, e entrega uma taxa de 0% para o caminhoneiro. O prazo de financiamento chega a até 96 meses (incluindo a carência máxima de até seis meses).
O público-alvo é formado pelos caminhoneiros autônomos da área de transporte que atuam no Porto de Santos. Para ter acesso aos financiamentos, o interessado deve ser associado ao Sindicam (Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista), e ter o seu veículo regularizado junto ao Detran/SP.
“O Sindicam já possuía esse projeto há dois anos, que nasceu baseado em programas semelhantes feitos em países como México e Estados Unidos. A Renovação da Frota pode iniciar uma profunda mudança no segmento de transporte, pois um novo caminhão mudará para melhor tanto a logística das operações no porto, como o perfil do próprio caminhoneiro, que terá um veículo moderno e produtivo para o seu dia-a-dia”, comentou Carlos Magalhães, coordenador de Marketing e Comunicação do Sindicam.
A escolha do novo caminhão é feita pelo próprio caminhoneiro. Também é obrigatório que, ao ter seu financiamento aprovado, o beneficiado encaminhe seu antigo veículo à reciclagem, feita por empresas licenciadas pela Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental). O programa aplicado em Santos, após avaliação dos resultados, poderá ser estendido para outras regiões portuárias do Brasil.
Iveco Stralis
Pertencente à nova Geração Ecoline, o Stralis Euro 5 tem dois novos motores, incluindo um de 9 litros, que fez a sua estreia mundial no Brasil. Assim, a Iveco ampliou para cinco as opções de potência, partindo de 330 e 360 cavalos (9 litros), passando por 400 e 440 cavalos (13 litros) e culminando com 480 cv (13 litros), a mais alta já oferecida em um Stralis no Brasil. A transmissão automatizada é de série nos modelos de 13 litros, que trazem também o freio motor mais potente da categoria (415 cavalos). Há duas novas opções de entre-eixos e a cabine tem novo acabamento e conteúdo, com maior conforto.
Os novos Iveco Stralis são até 7,5% mais econômicos em consumo de combustível em relação à geração anterior, e seus custos de manutenção são até 5% enores que a concorrência em três anos de uso. E a nova geração Stralis é a única família de pesados e extrapesados com quatro anos de garantia, sendo o primeiro ano para o veículo completo e os três seguintes para o trem de força.
Fonte: Iveco

Volvo elabora relatório sobre acidentes em estradas da Europa


T2008_1603
Um relatório sobre segurança e acidentes rodoviários na Europa elaborado pela Volvo Caminhões revela que 90% dos acidentes envolvendo caminhões são resultado de fatores humanos, como distração ou fadiga ao volante. O estudo, produzido pela equipe de pesquisa de acidentes da montadora, é baseado em suas próprias investigações e em dados obtidos de autoridades europeias.
O relatório também revela que beber e dirigir não são as principais causas de acidentes de trânsito envolvendo motoristas de caminhão: apenas 0,5% dos motoristas envolvidos em acidentes graves estavam sob a influência de álcool. O valor correspondente para acidentes com veículos de passageiros varia entre 15% e 20%.
Caminhões pesados estão envolvidos em 17% de todos os acidentes fatais e em 7% dos acidentes com danos pessoais. A maior parte dos acidentes que resultaram em lesões ao motorista de caminhão são aqueles em que o veículo saiu para fora da estrada. Mais da metade de todos os acidentes graves com caminhões consistem em colisões com carros e outros caminhões.
“O acesso aos dados sobre os acidentes é imensamente valioso para o nosso trabalho de segurança, ajudando-nos a criar as prioridades certas em nosso desenvolvimento de produtos. Por exemplo, temos os níveis de segurança reforçada em nossos modelos mais recentes de caminhões com uma gama de sistemas de apoio que melhoram a visibilidade, alertar o motorista ou chamar a atenção do condutor, se algo não está certo”, explica Carl Johan Almqvist, diretor de Tráfego e Segurança de Produto da Volvo Caminhões.
Segundo os dados levantados pela Volvo Caminhões, veículos mais seguros, melhor infraestrutura e um comportamento mais consciente na estrada reduziu continuamente os acidentes fatais nas estradas europeias desde o início de 1990. Contudo, muito mais vidas poderiam ser salvas se mais pessoas usassem o cinto de segurança, que é utilizado parcialmente pelos caminhoneiros europeus: 95% dos motoristas que morreram em acidentes rodoviários não estavam usando cinto de segurança.
“Enquanto as pessoas ficarem feridas em acidentes rodoviários, continuaremos a buscar níveis mais elevados de segurança. Em primeiro lugar, fazendo nossos caminhões mais seguros para motoristas e outros usuários da estrada, e, por outro lado, espalhando conhecimento para afetar os padrões de comportamento e persuadir mais pessoas a usar o cinto de segurança”, enfatizou Almqvist.
Fonte: Automotive Business

BNDES quer dobrar financiamento para transporte até 2015


        caminhoes na estrada
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) pretende dobrar o volume de financiamento a projetos de transportes no Brasil para R$ 20 bilhões ao ano até 2015, em um esforço para melhorar a infraestrutura do País.
No ano passado, o governo revelou que pretende investir quase R$ 200 bilhões em infraestrutura nos próximos 10 anos. A ideia é entregar projetos de construção para companhias privadas, na tentativa de acelerá-los, apesar o BNDES já ter se comprometido com o financiamento de até 80% desses projetos. “O grande problema do Brasil é logística”, disse Nelson Siffert, superintendente de infraestrutura do BNDES, em entrevista. “Nosso desafio é dobrar o financiamento até 2015.”
A falta de infraestrutura adequada obriga as empresas brasileiras a gastarem cerca de 13% de sua receita em custos com transporte, quase o dobro do que é gasto pelas companhias dos Estados Unidos, segundo um estudo da Fundação Dom Cabral. Dois terços do que é transportado no Brasil passa por rodovias, que estão em precárias condições. Além disso, os aeroportos e portos têm operado há anos acima da capacidade, com algumas cargas ficando dias à espera do desembarque.
Ao entregar as rédeas para o setor privado, o governo espera obter 10 mil quilômetros de novas ferrovias e 7.500 quilômetros de rodovias, o que, segundo estimativas do governo, deve custar R$ 133 bilhões. As mudanças nas regulamentações dos portos deve gerar R$ 54 bilhões em investimentos até 2017, enquanto a concessão de mais dois aeroportos à iniciativa privada vai requerer investimento de R$ 114,4 bilhões.
As licitações para esses projetos começarão ainda este ano, e Siffert afirmou que o BNDES está disposto a dar suporte inicial aos operadores privados para que o trabalho comece o quanto antes. A instituição também se comprometeu a apoiar a emissão de bônus de infraestrutura. O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, já afirmou que o Brasil pode emitir este ano R$ 50 bilhões em bônus de infraestrutura. Siffert estimou que esses bônus devem financiar cerca de 15% dos custos totais dos projetos.
No ano passado, o BNDES emprestou R$ 24,5 bilhões para infraestrutura, mas somente R$ 9,5 bilhões foram destinados aos transportes, com os R$ 15 bilhões restantes indo para projetos de energia. Nos próximos dois anos, a instituição prevê que os financiamentos para energia e transportes cresçam R$ 20 bilhões cada.
Siffert afirmou que o BNDES não está tão focado em projetos de energia, apesar de o País enfrentar problemas no setor, como a dependência de hidrelétricas. Segundo ele, no entanto, uma série de novos projetos estão em andamento para resolver esses problemas e a maior parte dos financiamentos já está estabelecida.
Fonte: Exame

Indústria de reboques prevê retomada em 2013


implementos
Depois de andar em marcha a ré no ano passado, a indústria de implementos rodoviários começa 2013 em ritmo de retomada. Embora admitam que seja difícil quebrar os recordes estabelecidos dois anos atrás, os fabricantes andam animados. Uns menos, outros mais: a expectativa de crescimento varia de 6% a 15%, dependendo da fonte.
Não falta crédito para o setor, e o juro do BNDES continua baixo – está em 3% ao ano e, embora vá subir para 4% em julho, seguirá abaixo da inflação. Mas a principal razão para otimismo vem das boas perspectivas para o mercado de caminhões, sem as quais o financiamento barato não teria muita serventia. Afinal, se empresas e caminhoneiros não comprarem caminhões, não vão precisar de implementos – reboques, baús, porta-contêineres, graneleiros e afins.
Em 2012, por exemplo, as taxas do BNDES foram reduzidas três vezes, até cair a apenas 2,5% ao ano. Mas adiantou pouco, porque o mercado de caminhões estava deprimido: a adoção do padrão Euro 5 de motores encareceu os veículos em até 10% e, junto com o mau desempenho da economia, derrubou as vendas em quase 20%. A queda levou de arrasto a cadeia de fornecedores e, claro, os fabricantes de reboques. Segundo o dado mais recente da Anfir, representante dessa indústria, as vendas de implementos caíram 16% até novembro.
Recuperação
As projeções disponíveis mostram que pelo menos uma parte do terreno perdido será recuperada em 2013. A Anfir ainda não arrisca uma previsão, mas a Anfavea – que representa as montadoras de veículos – espera que as vendas de caminhões aumentem entre 7% e 7,5%.
Escaldada por uma retração de mais de 10% no ano passado, a Pastre, de Quatro Barras (Região Metropolitana de Curitiba), se diz cautelosa. “Em 2012 tivemos de abrir mão de margem de lucro para manter a fábrica operando”, conta Flávio Pontes, coordenador de marketing da empresa, que também controla a Boreal, especializada em carrocerias frigorificadas.
“Neste ano esperamos que o mercado cresça entre 6% e 6,5%. Estamos trabalhando para ir um pouco além disso”, diz. Uma das atitudes foi procurar clientes no exterior: a Pastre já conseguiu um contrato de oito implementos por mês para o Uruguai, o equivalente a 5% da produção.
A Metalesp, de Rio Branco do Sul, também na Grande Curitiba, está mais otimista. A empresa, que em 2012 teve de facilitar as condições de pagamento para fechar o ano com retração de “apenas” 8%, mira agora um crescimento de 15%.
“Vinha tudo muito ruim até outubro, mas de repente as coisas se aceleraram”, conta João Manuel Cardoso, gerente de vendas e marketing. “Até então estávamos trabalhando com pronta entrega. Hoje nossa principal linha, de silos, tem um prazo de entrega de 70 dias. Na linha de tanques para líquidos, a produção está toda vendida até maio.”info_venda_040213
Mais espaço para produzir e crescer
“Começamos o ano a toda. Estamos fabricando de 60 a 65 unidades por mês. Se não fosse a falta de espaço e de mão de obra qualificada, estaríamos produzindo ainda mais”, conta o gerente de vendas e marketing da Metalesp, João Manuel Cardoso. A declaração do executivo – que em junho de 2012 disse que o cenário era o pior em cinco anos – dá uma ideia da virada que o mercado de implementos rodoviários deu nos últimos meses. Para acompanhar o crescimento projetado para os próximos anos, a empresa prepara o terreno para construir uma nova fábrica, às margens da Rodovia dos Minérios (foto), em Rio Branco do Sul. Depois da transferência, o espaço para produzir vai crescer bastante: será de 70 mil metros quadrados, quase nove vezes a área atual (8 mil metros quadrados). “No início vamos produzir lá as duas linhas que já temos, de silos e tanques. Em uma segunda fase, vamos implementar uma terceira linha”, diz Cardoso.
Fonte: Gazeta do Povo

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Caminhão da Caixa vai sortear R$ 30 milhões na quarta-feira em Rio Branco


A população deve assistir e participar do sorteio que ocorre ao vivo. 
O caminhão permanece em Rio Branco até sábado (9).

Tácita MunizDo G1 AC

Caminhão da sorte vai estar em Rio Branco até sábado (9) (Foto: (Foto: Tácita Muniz/ G1) )Caminhão da Sorte vai estar em Rio Branco até
sábado (9). (Foto: Tácita Muniz/ G1)
O sorteio da Mega-Sena, acumulada em
R$ 30 milhões ocorrerá em Rio Branco, Acre, na próxima quarta-feira (6).
Depois de ir a Porto Velho, o Caminhão da Sorte da Caixa faz sua parada em Rio Branco para realizar sorteios de todas as modalidades de loteria da Caixa Econômica Federal.
O caminhão está estacionado em frente à Praça da Revolução, no centro de Rio Branco.
O superintendente em exercício da Caixa, Fábio Constantino, conta que a atividade visa estabelecer laços de transparência com a população em relação aos processos do sorteio. Ele disse também que o objetivo dessas viagens é mostrar às pessoas como é realizado, na íntegra, o sorteio da Mega-Sena e os outros prêmios das lotéricas.
A estrutura do caminhão conta com uma lotérica, onde os interessados podem fazer suas apostas.
Os sorteios devem seguir seu calendário normalmente e as apostas também podem ser feitas em qualquer casa lotérica, como de costume. "Todos os dias, a partir das 18 horas, nossa equipe vai realizar o sorteio equivalente àquele dia", explica o superintendente.
um escolhido do público deve assumir os globos durante sorteio  (Foto: (Foto: Tácita Muniz/ G1))um escolhido do público deve assumir os
globos durante sorteio (Foto: (Foto: Tácita Muniz/ G1))
Os globos ficam posicionados no centro do caminhão e são acionados por alguém do público, que será escolhido no momento do sorteio.
"De repente pode sair um milionário aqui do estado do Acre e as pessoas ainda podem comemorar com boa música", disse o superintendente.
Na quarta-feira, dia do sorteio da Mega-Sena, além do sorteio, outra atração vai animar os presentes. A banda Arregaçâe foi convidada a fazer um show para o público que vai acompanhar o evento ao vivo
.Fonte G1

Cursos gratuitos para caminhoneiros


caminhoneiro
O Sindicato das Empresas de Transportes de Carga do Estado de Minas Gerais (Setcemg), em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Belo Horizonte (STTRBH) e o Sest Senat, lança o Programa de Qualificação do Trabalhador em Transporte de Cargas. A iniciativa inédita oferece cursos de qualificação gratuitos na área de transportes de cargas.
Ainda há vagas para as turmas de fevereiro para os cursos de motorista de caminhão, motorista carreteiro, Mopp, arrumação e conferência e operador de empilhadeira a serem oferecidos nas unidades de Contagem e de Belo Horizonte (Serra Verde) do Sest Senat. O programa ainda oferece auxílio transporte para os alunos que moram há mais de 2 km de distância do local do curso e lanche.
Outras informações, pré-requisitos e inscrições:  (31) 3490-0330, www.setcemg.org.br, ou nas unidades do Sest Senat de Contagem  (31) 3369-2705 e Belo Horizonte  (31) 3408-1512.
Fonte: Divulgação e Blog do Caminhoneiro

Volvo mostra caminhões das linhas FH e VM no Show Rural Coopavel


release04022013.f
A Volvo apresenta no Show Rural Coopavel, que acontece em Cascavel de 4 a 8 de fevereiro, suas linhas de caminhões FH e VM. No estande, estarão expostos um VM 260cv 6×2, um VM 330cv 6×4 e um FH 540cv 6×4. Durante a feira, haverá descontos exclusivos para os clientes que comprarem caminhões.
Com uma ampla gama de potências e entre-eixos, os veículos da marca atendem a diferentes necessidades de transporte do agronegócio. Reconhecidos pela alta disponibilidade aliada a um baixo consumo de combustível, são ideais para o transporte de longas, médias e curtas distâncias, além de atuarem com eficiência em atividades de apoio e distribuição.
“Nossos caminhões estão presentes em toda a cadeia do agronegócio brasileiro. Por serem veículos seguros, econômicos e altamente produtivos, contribuem para garantir maior rentabilidade do transportador”, afirma Bernardo Fedalto, diretor de caminhões da Volvo do no Brasil.
Os caminhões da linha F são ideais para composições bitrem, bitrenzão, rodotrem e carretas de três eixos, normais ou espaçadas (Vanderléia). O FH se destaca no transporte de grãos. Com maior potência e torques, o modelo garante alta produtividade ao transporte, já que consegue manter uma velocidade média mais alta com menor consumo de combustível.
volvo vmJá os caminhões da linha VM, pesados e semipesados, são reconhecidos pela versatilidade de aplicações ligadas ao agronegócio. São utilizados em transporte de hortifrutigranjeiros, cana de açúcar e derivados, combustíveis, óleos vegetais e insumos agrícolas. Os modelos rígidos são ágeis e possuem uma grande capacidade de carga e se destacam em operações de logística e distribuição. Já o cavalo mecânico, o VM 330, possui maior capacidade de carga maior e é ideal para transporte de médias distâncias.
Serviços
Durante a feira, a Volvo também apresenta seu pacote de serviços, como os programas de manutenção, que oferecem diferentes opções de cobertura e podem ser personalizados de acordo com a aplicação do veículo. O transportador pode escolher entre o programa de manutenção Azul, que cobre a manutenção preventiva, até o plano Ouro, mais completo, que oferece cobertura para a manutenção preventiva e corretiva do veículo.
Fonte: Volvo e Blog do Caminhoneiro

Mercedes-Benz Actros é a nova atração da dupla sertaneja Fernando & Sorocaba


parceria_1
Top de linha da Mercedes-Benz no País, o caminhão extrapesado Actros é a nova atração das turnês da dupla Fernando e Sorocaba, expoentes da atual música sertaneja no Brasil. A partir de agora, a equipe de produção dos artistas pega estrada a bordo do cavalo-mecânico Actros 2546 6×2, cedido pela Empresa juntamente com uma carreta, por um período de dois anos.
O veículo e a carreta receberam adesivagem especial, colocando em evidência tanto a marca da dupla, quanto a do caminhão. “Este é um encontro de estrelas. De um lado, a Mercedes-Benz, que tem tradição no mundo todo como ícone da indústria automotiva. De outro, Fernando e Sorocaba, estrelas do cenário musical brasileiro que alcançaram sucesso meteórico em cerca de cinco anos de carreira”, diz Cláudia Campos, gerente de Marketing de Vendas da Mercedes-Benz do Brasil.
Segundo Cláudia, a cessão do Actros e da carreta, veículos da frota de demonstração da Empresa, é a primeira ação de uma parceria com a dupla, que além dos shows e eventos de sua agenda, também realizará apresentações exclusivas para a Mercedes-Benz.
“Além de contar com um caminhão de alta tecnologia e desempenho, elevada segurança, conforto e reconhecida confiabilidade, a equipe de produção dos artistas, assim como todos os clientes da nossa marca, dispõem do atendimento e assistência técnica especializados em todos os estados do Brasil”, ressalta Cláudia. “Isso é muito importante porque a dupla realiza shows em todas as regiões do País e durante todo o ano”.
Fernando e Sorocaba realizam cerca de 20 shows por mês. Com isso, os artistas chegam a visitar, no decorrer de um ano, aproximadamente 80% do território nacional. Por ano, a equipe de produção dos sertanejos roda cerca de 130 mil quilômetros.
Vida na estrada
Em sua carreira, Fernando e Sorocaba já gravaram cinco CDs e quatro DVDs. O último trabalho, o “Acústico na Ópera de Arame”, rendeu à dupla a indicação ao Grammy Latino na categoria melhor álbum sertanejo. No último réveillon, eles se apresentaram para 2 milhões de pessoas em São Paulo e, na mesma noite, para 100 mil pessoas em Brasília.
No mais novo clip da dupla, da música “Livre”, os artistas se fazem de caminhoneiros. “Essa música tem tudo a ver com o clima de liberdade, que é o nosso jeito de ser”, diz Fernando. De acordo com Sorocaba, “nossa vida é muito semelhante com a de um motorista de caminhão. A gente vive na estrada, rodando de cidade em cidade”.
Actros rodoviário é o caminhão mais completo do Brasil
Top de linha da Mercedes-Benz, o Actros rodoviário – oferecido nas versões 2546 LS 6×2 e 2646 LS 6×4 – é o caminhão mais completo do mercado brasileiro, com amplo pacote de itens de avançada tecnologia. Destaque para a cabina Megaspace com piso totalmente plano, suspensão a ar e câmbio automatizado sem pedal de embreagem. Nesta versão de cabina, o caminhão é equipado ainda com o exclusivo ar-condicionado noturno, que funciona com o motor desligado.
Na versão Megaspace Segurança, o Actros apresenta ainda uma série de componentes de avançada tecnologia, alguns deles exclusivos, como o sistema de orientação de faixa de rolagem, controle de proximidade, assistente ativo de frenagem e freio eletrônico com ABS e ASR, além de retarder.
Os caminhões Actros são indicados especialmente para as empresas de transporte que valorizam a alta tecnologia e reconhecem a importância do conforto e da segurança como aliados no aumento da produtividade e, consequentemente, da rentabilidade operacional.
Os cavalos-mecânicos Actros 2546 LS 6×2 e Actros 2646 LS 6×4 são equipados com motor de 456 cv e permitem a utilização de diversos tipos de semirreboques, como carga seca aberta, furgão, sider, graneleiros, tanques de líquidos e gases, porta-conteiner e outros. O Actros 2646 6×4 também é utilizado para tracionar muticomposições, como bitrem, bitrenzão e rodotrem.
Fonte: Mercedes-Benz

Megaoperação vai fiscalizar caminhoneiros


Caminhão-autonomo
O Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Polícia Rodoviária Federal farão, após o Carnaval, uma megaoperação nas estradas do País para fiscalizar o cumprimento da lei sobre os novos limites de jornada de trabalho dos caminhoneiros. Serão 9,5 mil agentes de prontidão.
O tempo máximo ao volante é de dez horas diárias para contratados fixos e 12 horas para autônomos, sendo que, a cada quatro horas dirigidas, será obrigatória uma parada de 30 minutos.
Os motoristas profissionais devem ainda fazer o controle de jornada. Segundo levantamento do Instituto de Logística e Supply Chain (Ilos), a legislação vai elevar o custo do transporte, na média, em 14%, ou R$ 28 bilhões este ano.
Fonte: O Diário e Blog do Caminhoneiro

Scania corta produção na Europa; demanda na América Latina dobra


scania_linha de produção
A Scania está cortando produção e postos de trabalho na Europa após demanda fraca no maior mercado da fabricante ter levado a resultados trimestrais abaixo das estimativas apesar de grande alta nas encomendas no Brasil.
O grupo sueco, em que a Volkswagen tem participação majoritária, informou nesta quarta-feira que está reduzindo a produção na Europa em 15% no primeiro trimestre, com corte de 700 postos de trabalho.
A decisão deve dar o tom para concorrentes no continente europeu, onde a demanda por veículos cedeu à prolongada crise econômica.
O lucro operacional da Scania caiu para 2,17 bilhões de coroas suecas (340 milhões de dólares) no quarto trimestre, ante 2,74 bilhões no mesmo período do ano anterior. Analistas previam 2,48 bilhões em pesquisa.
“A grande frustração no trimestre foi a lucratividade, que na minha opinião tem a ver com descontos em caminhões que a Scania se viu obrigada a dar e à redução dos estoques”, afirmou o analista Hampus Engellau, da Handelsbanken Capital Markets.
O grupo, que fez cerca de metade de suas entregas de caminhão para a Europa no ano passado, disse que as encomendas na região ficaram estáveis no quarto trimestre, embora a margem operacional tenha caído para o menor nível em três anos.
No outro lado do Atlântico, no entanto, a situação parece melhor para a companhia sueca, cujo sistema de produção flexível e foco em veículos mais caros fazem dela geralmente a mais rentável das grandes fabricantes de caminhões.
As encomendas na América Latina praticamente dobraram diante da grande demanda no Brasil. A Scania prevê que a capacidade de produção dela na região deve aumentar no começo deste ano.
No total, a demanda por caminhões e ônibus da Scania subiu 24% no quarto trimestre, muito acima dos 9% que analistas previram em pesquisa.
Fonte: Reuters e Blog do Caminhoneiro

Com recuperação nos setores de caminhões e transportes, FENATRAN 2013 terá a maior edição de sua história


                        Fenatran 2011  - Blog do Caminhoneiro -  (77)
Apesar de marcada para acontecer apenas entre outubro e novembro, a 19ª edição da Fenatran – Salão Internacional do Transporte (no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo – SP) registrou ao fim do mês passado 250 expositores com contratos assinados, aproximando-se do número previsível de reunir 365 empresas, o que será um recorde histórico.
A Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) já trabalha com perspectiva de crescimento de 7,5% nas vendas no mercado de caminhões em 2013 que foram afetadas negativamente pela transição de tecnologia para veículos menos poluentes no ano passado. A reação dos caminhões deve superar a expansão do mercado total, incluindo carros e ônibus, que, nas contas da Anfavea avançará entre 3,5% e 4,5%.
O Anuário da Indústria Automobilística Brasileira versão 2012 da Anfavea expressa o crescimento do setor. Entre 2002 e 2011, o mercado automotivo como um todo cresceu 145%, com média anual superior a 10%, enquanto a produção, embora em ritmo menor que o das vendas internas, expandiu-se 109% no período, média de 8,6% ao ano. O licenciamento de caminhões em 2010 foi de 157.694 passando para 172.902 em 2011.
Entre as marcas já confirmadas para a Fenatran 2013 figuram as maiores produtoras de veículos e motores como a Fiat, Hyundai, Iveco, Mercedes Benz, Renault, Ford Caminhões, Scania e Volvo. Além também das principais fabricantes de implementos, componentes, acessórios, fluidos e etc, como a Agrale, Alcoa, Chevron, Michelin, Mobil, Shell e Voith, entre muitas outras de 15 países diferentes.
A expectativa positiva quanto ao evento também inclui ultrapassar a marca de 57 mil compradores presentes (marca registrada na última edição em 2011) oriundos de 45 países em uma área total de 100 mil m2. A iniciativa “Fenatran Experience”, onde profissionais do transporte tem a possibilidade de fazer um test drive nos modelos de caminhões mais modernos do mercado está mantida: em 2011, foram quatro dias de test drive com a participação de quatro mil profissionais do setor.
Principal evento brasileiro no segmento e um dos cinco maiores do mundo em produtos e serviços destinados aos transportadores de cargas em diversos modais e operadores logísticos, o evento é organizado e promovido pela Reed Exhibitions Alcantara Machado.
As empresas expositoras da Fenatran envolvem os segmentos de caminhões e veículos; implementos e equipamentos; autopeças, motores e pneus; combustíveis, derivados e componentes; equipamentos para oficinas, terminais e movimentação de carga; equipamentos de informática e segurança; bancos, financeiras e seguradoras; entidades e serviços entre outras dessa cadeia produtiva. Na edição da Fenatran 2011, a fabricante Iveco, por exemplo, vendeu mais de 500 caminhões.
Derrubar a poluição e retomada do crescimento
A Fenatran 2013, que tem o tema central justamente “Transporte na rota da sustentabilidade”, será o primeiro evento a exibir a totalidade das novidades da mudança na tecnologia de motorização dos veículos para atender a norma Euro 5. Depois de enfrentar as dificuldades advindas da mudança de paradigma, as montadoras de caminhões iniciam 2013 confiantes na retomada dos negócios.
Por usar um novo tipo de combustível (o diesel S-10) e em função de melhorias de desempenho, eficiência e descarga, os motores baseados na norma Euro V devem diminuir drasticamente os índices de poluição causados pela cadeia de logística e transporte no Brasil.
O diesel S-10, que substitui integralmente o diesel S-50, já está disponível em 5.900 postos de combustível do País nesse mês de janeiro. A Petrobras informa em comunicado que o diesel S-10, que hoje está disponível em 15 polos de vendas, terá a sua oferta ampliada para 17 polos no primeiro semestre deste ano, o que garantirá o abastecimento de 78 bases de distribuição espalhadas pelo País.
A estatal informa ainda que de 2005 a 2011 investiu R$ 38,5 bilhões para modernizar o seu parque de refino e adequar a logística para atender o mercado interno. Deste total, R$ 19,6 bilhões foram para a produção e movimentação do diesel de baixo teor de enxofre. De 2012 a 2016 já está definido o investimento de R$ 27,2 bilhões para a modernização das refinarias e adequação da logística. Do total, R$ 20,7 bilhões serão aplicados no programa de qualidade do diesel.
Fonte: Agência IN e Blog do Caminhoneiro

MAN Latin America estima venda 10% maior neste ano


man caminhões brasil
A MAN Latin America, fabricante de caminhões e ônibus da Volkswagen, projeta aumento de vendas de cerca de 10% neste ano, com crescimento da produção na casa de 20%, informou nesta sexta-feira o presidente da companhia, Roberto Cortes.
O crescimento será sobre uma base fraca: em 2012, houve queda de 42% na produção e de 20%, nas vendas, num ano atípico, marcado pela introdução dos motores euro 5, o que levou à uma antecipação de demanda no fim de 2011, com a consequente queda generalizada no mercado em 2012. “Estamos otimistas com a economia em 2013. Acreditamos que o crescimento será de 3%”, afirmou Cortês, após participar de cerimônia na sede do governo do Estado do Rio.
Em janeiro, a MAN Latin America já contratou 300 funcionários para dar conta da alta na produção, mas ainda não há previsão de quando a fábrica, localizada em Resende (RJ), voltará a trabalhar em três turnos. A pleno vapor, a capacidade de produção dessa fábrica é de 100 mil unidades por ano. Em dois turnos, fica em cerca de 70 mil unidades por ano, calculou Cortes.
Segundo o executivo, além da visão positiva sobre o crescimento da economia, a perspectiva de alta nas vendas e na produção está baseada no entendimento de que a “síndrome do euro 5″ acabou. A alta na produção será superior à das vendas porque a MAN entrou 2013 com estoques em baixa, cenário oposto ao de um ano atrás. O otimismo também parte de uma aposta no lançamento de produtos, alguns com a marca MAN, além da marca Volkswagen. A empresa também está entrando no segmento dos caminhões extrapesados.
O desenvolvimento de produtos será o destino principal do pacote de investimentos de R$ 1 bilhão previsto para ser executado até 2016. Lançado em outubro de 2011, o plano teve R$ 150 milhões executados. Segundo Cortes, a princípio, não será preciso ampliar a capacidade de produção da fábrica de Resende. Apenas ampliações “pontuais”, como na cabine de pintura, serão feitas.
Fonte: Estadão Conteúdo e Blog do Caminhoneiro